INFOGRAFIA INTERACTIVA: A Terra ao rubro

3.Reféns do clima

11 DE ABRIL DE 2018 | 22H30

As alterações climáticas já estão a mudar o mundo. Em Portugal teremos de habituar-nos a um clima mais árido, chuva fora de época e ondas de calor prolongadas. Ainda podemos reverter este cenário? Que novas soluções são necessárias?

Veja aqui o programa completo

A temperatura do planeta não pára de subir. Todos os dias, as emissões de gases com efeito de estufa criam na atmosfera uma temperatura equivalente à de 400 mil bombas de Hiroxima.

Com o aquecimento global, o degelo nos pólos Norte e Sul tornou-se inevitável. Os cientistas calculam que, no final do século, o nível médio do mar poderá ter subido até 1,5 metros, alterando a geografia das zonas costeiras.

Grandes tempestades ou períodos de seca extrema podem tornar-se regra. Muitas cidades ficarão sem água e reservas do planeta, como a Amazónia, arriscam perder metade dos animais e plantas.

Em Portugal, os termómetros no Verão deverão marcar, em média, mais cinco graus em 2100. Teremos de habituar-nos a um país mais árido, a ondas de calor mais intensas e prolongadas e a chuva fora de época.

Como podemos travar este cenário? E como é que estas previsões irão mudar a forma como vivemos? Que soluções existem para reduzir o impacto das mudanças climáticas na economia e agricultura?

Para responder a estas e outras perguntas estarão em debate no Fronteiras XXI o físico e perito em alterações climáticas Filipe Duarte Santos, a especialista na redução do impacto de carbono Maria Júlia Seixas, o consultor em políticas dos oceanos e presidente da Fundação Oceano Azul, Tiago Pitta e Cunha e o engenheiro agrónomo e ex-presidente da Liga para a Protecção da Natureza, Eugénio Sequeira.

A moderação é do jornalista da RTP Carlos Daniel. Não perca o próximo Fronteiras XXI, no dia 11 de Abril, às 22h30, na RTP3.

 

Convidados neste programa

Filipe Duarte Santos Perito em alterações climáticas, pres. do Conselho Nacional do Ambiente É considerado um dos maiores especialistas nacionais em alterações climáticas, presidindo há um ano ao Conselho Nacional do Ambiente e do Desenvolvimento Sustentável. Doutorado em Fís...
Maria Júlia Seixas Professora e investigadora na área da energia Professora e investigadora na área da energia e alterações climáticas, é presidente do Departamento de Ciências e Engenharia do Ambiente, da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Univ...
Tiago Pitta e Cunha Especialista em assuntos do mar, CEO da Fundação Oceano Azul CEO da Fundação Oceano Azul tem um extenso trabalho na definição de políticas oceânicas e foi conselheiro da Presidência da República para assuntos de Ambiente, Ciência e Mar. Forma...
Eugénio Sequeira Engenheiro agrónomo e ex-presidente da Liga para a Protecção da Natureza Ex-presidente da Liga para a Protecção da Natureza (LPN), a mais antiga associação de defesa do ambiente da Península Ibérica, tem um longo percurso na defesa da agricultura sustentáv...

Documentos

Leia aqui o alerta deixado por 15 mil cientistas à humanidade: "Em breve será demasiado tarde" 19 Mar, 2018  |  PDF  |  380.40 KB
Relatório sobre os desafios da adaptação às mudanças climáticas do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (2016) 16 Mar, 2018  |  PDF  |  3.42 MB
Relatório Planeta Vivo 2016 29 Mar, 2018  |  PDF  |  3.80 MB
Alterações climáticas: situação actual e cenários futuros. Um estudo de Filipe Duarte Santos 19 Mar, 2018  |  PDF  |  443.82 KB
Como podem as energias renováveis reduzir a pegada de carbono nacional? Um estudo do CENSE, da Fac. de Ciências e Tecnologia da Nova, e da Fac. de Economia da Univ. William & Mary 23 Mar, 2018  |  PDF  |  6.91 MB
O Alasca a encolher: este mapa mostra a evolução no recuo do gelo entre 1980 e 2012, de acordo com o relatório da National Oceanic and Atmospheric Administration (NOAA) 27 Mar, 2018  |  JPG  |  102.65 KB
24 Set, 2018  |   |  0.00 B

SABIA QUE

?
A cada 5 anos, o nível da água do mar subirá 20 cm se nada for feito para controlar as emissões de CO2, alertam os cientistas Revista "Nature Communications"
Com o aumento da temperatura, o risco de incêndios vai disparar. No ano passado, arderam 570 mil hectares de florestas e áreas agrícolas em Portugal
As alterações climáticas poderão atirar para a pobreza mais 100 milhões de pessoas até 2030 Organização Mundial da Saúde

Notícias XXI

Num mundo mais quente a palavra de ordem é adaptação
A opinião de Luísa Schmidt: As alterações climáticas e as pessoas
A opinião de Carlos Pimenta: Mudança climática
A nova vaga de migrantes é a do clima
Desafios e riscos para a agricultura

Notícias nos media

  Estaremos ainda a tempo de salvar o planeta Terra?
  Podemos viver só de energia renovável? E a que preço?
  O grito de alerta de 15 mil cientistas sobre o futuro do planeta