Infografia

2.Cancro: Para quando a cura?

16 DE MARÇO DE 2022 | 22H00

O cancro já é a principal causa de morte no mundo, segundo a OMS. No último Fronteiras XXI debatemos o presente e o futuro da luta contra o cancro. Reveja o programa aqui no site.

Reveja aqui o programa

Há mais de 250 anos que o cancro põe a ciência à prova.

Os avanços na investigação e nos tratamentos permitiram um aumento da taxa de sobrevivência. Mas esta doença continua a ganhar terreno.

O cancro já é a principal causa de morte no mundo, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). Só em 2020 terá causado 10 milhões de mortes.

E a Agência Internacional para a Pesquisa sobre o Cancro prevê que, até 2040, o número de casos de cancro suba 47% a nível mundial.

Portugal não será excepção. De acordo com o mais recente relatório do Observatório Global do Cancro, no espaço de duas décadas, o país terá 71 mil novos diagnósticos por ano. Um número associado em grande parte ao crescente envelhecimento da população.

Porque é que ainda não há uma cura para esta doença? Como é que se vai lidar com o aumento de casos? Que novas terapias estão a ser desenvolvidas? Será possível prevenir o cancro?

Neste Fronteiras XXI debatemos o presente e o futuro da luta contra o cancro. Com a directora da Unidade de Mama do Centro Clínico Champalimaud, Fátima Cardoso, o director do Serviço de Oncologia do Hospital de Santa Maria, Luís Costa, o médico oncologista do IPO do Porto, Júlio Oliveira, e a psiquiatra especialista em psico-oncologia, Susana Almeida.

A moderação deste debate esteve a cargo da jornalista da RTP Ana Lourenço.

Reveja o programa aqui no site.

Convidados neste programa

Fátima Cardoso Directora da Unidade de Mama do Centro Clínico Champalimaud Dirige a Unidade de Mama do Centro Clínico Champalimaud há mais de 11 anos. Preside à Advanced Breast Cancer Global Alliance desde 2016. É membro da American Society of Clinical Oncology...
Luís Costa Director do Departamento de Oncologia do Hospital de Santa Maria Há mais de 16 anos que dirige o Serviço de Oncologia do Hospital de Santa Maria de Lisboa. Em 2013 acumulou funções como coordenador da Comissão de Coordenação Oncológica do Centro H...
Júlio Oliveira Médico oncologista no IPO do Porto Desde 2011 que trabalha como médico Oncologista no Instituto Português de Oncologia – IPO Porto. Trabalhou no Hospital de São João no Porto. Uma parte relevante da sua actividade centr...
Susana Almeida Psiquiatra especialista em Psico-Oncologia É assistente hospitalar graduada de Psiquiatria no Instituto Português de Oncologia (IPO) do Porto e no Hospital CUF Porto, onde coordena a Unidade de Neuropsiquiatria. Trabalhou no Hospit...

Documentos

INFOGRAFIA PARA DOWNLOAD: «Portugal e o Cancro» 5 Mar, 2022  |  PDF  |  301.00 KB
Relatório «Globocan 2020» do Observatório Global do Cancro da OMS 2 Mar, 2022  |  PDF  |  312.53 KB
OCDE: «Health at a Glance: Europe 2020» 2 Mar, 2022  |  PDF  |  15.04 MB
«Avaliação e Monitorização dos Rastreios Oncológicos Organizados de Base Populacional | 2019/2020», DGS 2021 2 Mar, 2022  |  PDF  |  902.81 KB
IARC: «World Cancer Repor 2020» 4 Mar, 2022  |  PDF  |  201.83 KB

SABIA QUE

?
O cancro foi a principal causa de morte no mundo, em 2020, representando 1 em cada 6 mortes. Organização Mundial da Saúde (OMS)
Há cerca de 60 mil novos diagnósticos de cancro, por ano, em Portugal. Os mais frequentes são: colorretal, mama, próstata, pulmão e estômago. «Globocan 2020», Observatório Global do Cancro
40% dos casos de cancro são evitáveis, mas só 3% dos orçamentos da saúde se destinam à prevenção de doenças. Comissão Europeia

Notícias XXI

Infografia: «Portugal e o cancro»
Cancro: Tempo de agir
7 Perguntas sobre o cancro do pulmão

Notícias nos media

  Como a medicina de precisão está a revolucionar o tratamento do cancro em Portugal
  Diagnóstico precoce de doentes com cancro voltou em 2021 aos níveis pré-pandemia
  O que há de novo na luta contra o cancro: inovações made in Portugal e avanços mundiais. “Vai ser possível travar o aumento de mortes”