Infografia

1.Como vamos carregar o mundo?

16 DE FEVEREIRO 2022 | 22H00

Neste Fronteiras XXI debatemos os passos que Portugal ainda tem de dar para entrar no novo paradigma energético, e os obstáculos que o país poderá encontrar no caminho. Reveja o programa aqui no site.

Reveja o programa

A transição energética ganha nova urgência a cada ano que passa.

2022 começou com uma situação de seca que obrigou à suspensão da produção de energia hidroeléctrica em cinco barragens, no país. E cenários como este tenderão a multiplicar-se.

Mas só alguns países estão a trabalhar em contra-relógio para tentar travar os impactos do aquecimento global. Portugal é um deles.

A nível mundial, ocupa a 19.ª posição no Índice de Transição de Energia 2021 – à frente dos EUA. E na Europa destaca-se entre os que consome mais energia limpa: 58% – acima da média de 37%.

Ainda assim, os sucessivos aumentos nas facturas da electricidade e dos combustíveis podem ameaçar as campanhas pela sustentabilidade ambiental.

Será que Portugal tem capacidade financeira, tecnológica e humana para aproveitar as condições naturais do seu território e capitalizá-las em forma de energia solar, eólica ou do mar? As energias renováveis acarretam riscos? Será o hidrogénio a resposta para os desafios de armazenamento? Devemos considerar outras fontes, como o nuclear? Poderá o país integrar a cadeia de valor das baterias na União Europeia? Quanto vamos pagar pela energia?

Neste Fronteiras XXI debatemos os passos que Portugal ainda tem de dar para entrar no novo paradigma energético, e os obstáculos que o país poderá encontrar no caminho.

Com a presidente do Laboratório Nacional de Energia e Geologia, Teresa Ponce de Leão, a presidente do Departamento de Ciências e Engenharia do Ambiente da NOVA FCT, Júlia Seixas, o responsável pela Direcção de Cooperação para o Desenvolvimento da OCDE, Jorge Moreira da Silva, e o CEO da Associação Portuguesa de Energias Renováveis, Pedro Amaral Jorge.

A moderação deste debate esteve a cargo da jornalista da RTP Ana Lourenço.

Reveja o programa aqui no site.

Convidados neste programa

Teresa Ponce de Leão Presidente do Laboratório Nacional de Energia e Geologia Há mais de 17 anos que preside ao Conselho de Administração do Laboratório Nacional de Energia e Geologia. É ainda presidente do Conselho de Administração da Associação Portuguesa d...
Júlia Seixas Presidente do Departamento de Ciências e Engenharia do Ambiente da NOVA FCT É Pró-Reitora da Universidade NOVA de Lisboa, onde coordena a área da sustentabilidade e a plataforma NOVA 4 The Globe desde Novembro de 2021. Lecciona na NOVA School of Science and Techn...
Jorge Moreira da Silva Director-geral de Desenvolvimento e Cooperação da OCDE Foi Ministro do Ambiente, Energia e Ordenamento do Território dos XIX e XX Governos Constitucionais de Portugal, entre 2013 e 2015. De 2009 a 2012 desempenhou as funções de Consultor Sé...
Pedro Amaral Jorge CEO da Associação Portuguesa de Energias Renováveis Desde 2018 que preside à Associação Portuguesa de Energias Renováveis (APREN), uma entidade que reúne 200 empresas e organizações de Geradores de Energia Renovável – representando ...

SABIA QUE

?
Portugal ocupa a 19.ª posição no ranking mundial do Índice de Transição de Energia 2021, à frente dos EUA, mas atrás da Irlanda. «Fostering Effective Energy Transition 2021 edition», World Economic Forum
60% da electricidade produzida em Portugal é oriunda de fontes de energia renováveis. DGEG/MAAC | Pordata (2021)
37% da electricidade consumida na União Europeia, em 2020, era de fontes de energia renováveis. Eurostat «Renewable energy on the rise» (Janeiro de 2022)

Notícias XXI

INFOGRAFIA: «Energia limpa em Portugal»
«O hidrogénio tem o potencial de agilizar a transição energética em Portugal»
Quatro perguntas para a transição energética
Transição Energética em Portugal: Caminhos para o Futuro

Notícias nos media

  Comissão Europeia adopta proposta polémica que põe rótulo verde no gás natural e no nuclear
  Energia: Portugal nunca instalou tanta capacidade solar como em 2021
  Portugal é o quarto país da UE que mais consome energia produzida por renováveis