Oitenta consultas por
minuto

Um retrato de quem nos cuida da saúde


A Saúde não pára...

Atendimento no Serviço Nacional de Saúde (SNS) e despesa corrente total no sector em Portugal desde que entrou nesta página, de acordo com médias de 2016.

0

0Consultas

0Urgências

0Cirurgias

0Despesa


...mas é preciso esperar

Tempos de espera para consultas e cirurgias em 95 hospitais públicos entre Setembro e Novembro de 2017, para as especialidades mais comuns. O limite corresponde ao Tempo Máximo de Resposta Garantido previsto na legislação em 2017.

Tempos de espera para  

Especialidade

Prioridade

Distrito


…mas é preciso esperar

Média de espera para consultas hospitalares e cirurgias e percentagem realizada fora do tempo máximo de resposta garantido em 2016.

4,0Meses de espera para uma consulta

28%Consultas fora do tempo garantido

3,1Meses de espera para uma cirurgia

15%Cirurgias fora do tempo garantido


A Oferta de Saúde Privada está a aumentar...

Número de hospitais privados já ultrapassou o de hospitais públicos e os de gestão em parceria público-privada (PPP).

Hospitais públicos e PPP Hospitais privados


…mas o sector público tem maior capacidade e movimento

Hospitais públicos e geridos em PPP respondem por seis em cada sete urgências, duas em cada três consultas e três em cada quatro cirurgias, segundo os dados mais recentes (2015).

Hospitais públicos e PPP Hospitais privados


Onde é que os pacientes ficam mais tempo internados?

Número médio de dias de internamento nos hospitais em 2015.

Hospitais públicos e PPP Hospitais privados


Um em cada quatro portugueses tem seguro privado de saúde

Segurados, apólices e prémios em 2016. Desde 2010, o número de apólices subiu 33% e o de pessoas seguradas, 28%.

2.683.172Pessoas seguras

1.039.012Apólices

289€Prémio médio (individual)

223€Prémio médio (grupo)


Quem está mais bem servido de farmácias?

Número de farmácias e de habitantes por farmácia em todos os concelhos do país, segundo os dados mais recentes (2016).

O seu concelho  

15Nº de farmácias

2433Habitantes por farmácia


Os supermercados estão a competir com as farmácias

Venda de medicamentos não sujeitos a receita médica em 2016, em número de embalagens. Os mais comuns são os analgésicos e antipiréticos.

Farmácias Fora das farmácias


Quanto gastamos em medicamentos?

Valores relativos ao consumo de medicamentos receitados em ambulatório pelo SNS em 2016.

12,10€Custo médio por embalagem

7,63€Pago pelo SNS

4,47€Pago pelo utente

71€Custo anual para o utente


E em que medicamentos se gasta mais dinheiro?

Medicamentos consumidos em 2016, o quanto custaram ao SNS e principais doenças a que se destinam.
(M€ = milhões de euros)