INFOGRAFIA

9.As últimas fronteiras da ciência

20 DE NOVEMBRO 2019 | 22H30

O que podem trazer para o mundo e para Portugal as novas fronteiras que a ciência ainda está a descobrir? No Fronteiras XXI vamos debater o impacto que a investigação do fundo dos oceanos e do espaço pode ter na Terra e no ser humano.

Reveja o programa

Hoje produz-se mais investigação científica do que há 30 anos, revela um estudo inédito divulgado esta semana pela Fundação Francisco Manuel dos Santos. Contudo, apesar de o número de doutorandos ter aumentado substancialmente, as nossas publicações continuam a ter pouco impacto. Os autores concluem que é necessário mais investimento na ciência, sobretudo do sector empresarial português.

Este ano o país entrou na corrida cósmica. Pela primeira vez, Portugal tem uma agência espacial e é na ilha de Santa Maria, nos Açores, que será construída uma estação. Para já, sabe-se que será explorada por um consórcio (indefinido ainda) que a deverá usar como plataforma de lançamento de satélites para a órbita terrestre.

Este é, aliás, o mercado da indústria espacial que tem tido maior crescimento no mundo. E a estimativa da nova agência portuguesa é que nos próximos dez anos a investigação e desenvolvimento venham a gerar mil novos empregos qualificados e multipliquem por dez a facturação do sector do espaço nacional.

Mas o interesse no arquipélago açoriano não se fica pela ilha de Santa Maria. Cientistas da NASA querem preparar uma primeira viagem a Marte no vulcão dos Capelinhos, no Faial. E outros investigadores procuram microrganismos semelhantes aos que poderão ter habitado o planeta vermelho há milhares de milhões de anos nos vulcões submarinos dos Açores.

A investigação científica e o desenvolvimento tecnológico decorrentes da exploração espacial irão ter um impacto profundo na Terra e no ser humano. Se até ao virar do século XXI a corrida ao espaço foi impulsionada por interesses militares de alguns Estados, agora está a transformar-se também numa oportunidade de negócio para empresários bilionários como Elon Musk e Jeff Bezos.

A industrialização do espaço deixou de ser uma ideia de ficção-científica. Nas próximas décadas, assistiremos ao aproveitamento de recursos como água e metais preciosos encontrados em asteróides, luas e planetas.

No Fronteiras XXI debatemos o que podem trazer para o mundo e para Portugal estas novas fronteiras que a ciência ainda está a descobrir. Do fundo dos oceanos ao espaço. Com a astrobióloga Zita Martins, o físicos Carlos Fiolhais e João Magueijo e a vice-reitora da Universidade Nova de Lisboa Elvira Fortunato.

Fronteiras XXI, dia 20 de Novembro, às 22h30, na RTP3.

Convidados neste programa

Zita Martins Astrobióloga Astrobióloga, perita internacional no estudo da origem e evolução da vida no universo, é professora do Instituto Superior Técnico (IST). Aqui criou a área de investigação em astrobio...
Carlos Fiolhais Físico e divulgador de Ciência É doutorado em Física Teórica pela Universidade Goethe, na Alemanha, e professor catedrático de Física na Universidade de Coimbra (UC), onde desempenhou vários cargos directivos e fund...
Elvira Fortunato Vice-reitora da Universidade Nova de Lisboa Vice-reitora da Universidade Nova de Lisboa, onde também dirige o Instituto de Nanoestruturas, Nanomodelação e Nanofabricação e o Centro de Investigação de Materiais e lecciona no Dep...
João Magueijo Professor catedrático de Física Teórica É professor catedrático de Física Teórica no Imperial College, em Londres, para onde emigrou há 30 anos, e investigador e professor convidado na Universidade La Sapienza, em Roma. Licen...

Documentos

INFOGRAFIA PARA DOWNLOAD: Para onde vai o investimento na ciência? 8 Nov, 2019  |  PDF  |  707.83 KB
INFOGRAFIA PARA DOWNLOAD: O Futuro Segundo Michio Kaku 8 Nov, 2019  |  JPG  |  9.03 MB
Estratégia de Portugal para o Espaço até 2030 19 Ago, 2019  |  PDF  |  1.78 MB
Tratado sobre os Princípios Que Regem as Actividades dos Estados na Exploração e Utilização do Espaço Exterior, Incluindo a Lua e Outros Corpos Celestes 6 Nov, 2019  |  PDF  |  27.02 KB
Estratégia para os recursos do espaço da Agência Espacial Europeia 6 Nov, 2019  |  PDF  |  328.77 KB
Taxonomia Tecnológica da NASA para 2020 6 Nov, 2019  |  PDF  |  7.02 MB

SABIA QUE

?
Desde 1957, já foram lançados 5.450 foguetões para o espaço, com sucesso. Centro Europeu de Operações Espaciais
Neste momento, há 2062 satélites operacionais na órbita terrestre. Só os EUA têm 901, a China 299 e a Rússia 153. Satellite Database, Union of Concerned Scientists
Estima-se que até agora tenhamos poluído o espaço com mais de 22 mil objectos considerados lixo, que terão provocado mais de 500 colisões e explosões. "Space debris by the numbers", Agência Espacial Europeia

Notícias XXI

A chávena de café e o olho azul do Universo
Uma viagem ao centro da Terra
Espaço: A odisseia que nos deu o presente e promete o futuro

Notícias nos media

  Foguetão da SpaceX leva para a Estação Espacial Internacional experiências em áreas tão díspares como o enfraquecimento muscular e fermentação de cerveja
  Sonda espacial revela dados da atmosfera do Sol. Nunca se tinha chegado lá
  “Temos bem mapeada a Lua mas não o fundo do Atlântico”