6.A privacidade é possível?

25 de Julho | 22H00

A cada dez segundos um utilizador é alvo de um ataque informático com pedido de resgate. E áreas essenciais como a energia, a banca, o sector alimentar, de segurança ou de transportes estão sob constante ameaça. Como conseguiremos manter em segurança os nossos dados e infra-estruturas? Como pode Portugal proteger-se melhor?

Reveja o programa

Às 22h30 do dia 29 de Outubro de 1969 era enviada, pela primeira vez, uma mensagem entre dois computadores. Saiu do servidor do laboratório da Universidade da Califórnia e viajou 600 km até ao Instituto de Investigação de Stanford, nos EUA. Era o nascimento do e-mail e, nesse mesmo ano, da Internet, ligando computadores em quatro universidades norte-americanas.

Hoje, a rede infiltrou-se em tudo. Byte a byte, abriu-nos o mundo mas deixou-nos expostos e vigiados. Toda a informação trocada online fica registada. O que fazemos na net ou o que divulgamos nas redes sociais revela quem somos, o que temos, em quem votamos, como reagimos. Os nossos dados são vistos e registados. Mas estão protegidos?

O novo Regulamento Geral de Protecção de Dados da União Europeia, em vigor desde Maio passado, aperta as regras, reforça os direitos de privacidade e até cria mais uma profissão: Encarregado de Protecção de Dados. Será suficiente?

A rede deixou-nos muito mais vulneráveis. A cada dez segundos, um utilizador é vítima de um ataque informático com pedido de resgate. E áreas essenciais como a energia, a banca, o sector alimentar, de segurança ou de transportes, que dependem da Internet para funcionar, estão sob constante ameaça. No ano passado, dois gigantescos ataques informáticos atingiram mais de 150 países. Infectaram empresas de telecomunicações, energia e banca, paralisando serviços e deixando milhões de euros de prejuízos.

O “hacking” de computadores tornou-se também uma nova forma de guerra, de ataque e contra-ataque entre países, governos e empresas.

Como conseguiremos manter em segurança os nossos dados e infraestruturas? Como pode Portugal proteger-se mais e melhor? Que novas ameaças nos desafiam?

Para responder a estas e outras perguntas estarão em debate a jurista e presidente da Comissão Nacional de Protecção de Dados Filipa Calvão, o director-geral do Gabinete Nacional de Segurança, o Contra-almirante António Gameiro Marques e o especialista em segurança informática Luís Antunes.

No programa teremos a participação especial do português que ganhou o título do “hacker mais valioso”, André Baptista, e uma entrevista exclusiva à ex-directora da Cambridge Analytica que denunciou o tratamento ilegal de dados empresa, Brittany Kaiser.

A moderação é do jornalista Carlos Daniel. Não perca o Fronteiras XXI, dia 25 de Julho às 22 horas, na RTP3.

 

Convidados neste programa

Filipa Calvão Presidente da CNPD Presidente da Comissão Nacional de Protecção de Dados desde 2012, é doutorada em Direito na área de Ciências Jurídico-Políticas. Dá aulas na Faculdade de Direito da Universidade Cat...
Gameiro Marques Director-geral do Gabinete Nacional de Segurança É o responsável pelo Gabinete Nacional de Segurança, organismo que garante a informação classificada em Portugal e que tutela o Centro Nacional de Cibersegurança (CNCS), criado para de...
Luís Antunes Perito em cibersegurança Especialista em segurança no ciberespaço, lidera o Departamento de Ciência de Computadores da Universidade do Porto (FCUP) e dirige o Centro de Competências em Cibersegurança e Privacid...

Documentos

O novo Regulamento Geral de Protecção de Dados da União Europeia, que entrou e vigor a 25 de Maio passado 22 Jun, 2018  |  PDF  |  2.07 MB
Os ciberataques e o roubo de dados estão entre os principais riscos para este ano no Global Risk Report 2018 do Fórum Económico Mundial 17 Jan, 2018  |  PDF  |  6.94 MB
A Estratégia de Segurança de Donald Trump prevê um aumento da capacidade dos EUA de responder a ciberataques 22 Jun, 2018  |  PDF  |  1.74 MB
Manual de Boas Práticas para a Protecção de Dados da União Europeia 22 Jun, 2018  |  PDF  |  5.14 MB
A consultora Eurasia aponta o uso que o Médio Oriente faz da tecnologia como um dos grandes riscos mundiais em 2018 12 Jan, 2018  |  PDF  |  5.57 MB
Ciberameaça: "Uma tempestade perfeita está prestes a abater-se sobre a Europa", um relatório da MMC (versão inglesa) 25 Jun, 2018  |  PDF  |  2.97 MB

SABIA QUE

?
A cada dez segundos uma pessoa é vítima de um ataque informático que bloqueia o computador e exige um resgate para devolver a informação Fonte Kaspersky Lab, Relatório de 2016
Mais de metade da população mundial está hoje ligada à Internet: são 4,1 mil milhões de utilizadores "Global Digital Report" da We Are Social
O cibercrime está a crescer em Portugal. A Polícia Judiciária investigou 976 crimes informáticos em 2017, mais 22% do que no ano anterior Relatório Anual de Segurança Interna 2017

Notícias XXI

Os hackers no “lado bom da Força”
"Um dia de dados", uma crónica do jornalista Ricardo Garcia
Tentáculos da “guerra informática” ameaçam segurança mundial

Notícias nos media

  Piratas informáticos chineses roubam informação sobre submarinos norte-americanos
  Dados vão poder ser transferidos mais facilmente entre Google, Facebook, Microsoft e Twitter
  Facebook. Cambridge Analytica pode ter utilizado dados de mais de 63 mil portugueses