Infografia

02.Como será o trabalho do futuro?

15 MARÇO 2017 | 22H00

Os robôs e as novas tecnologias têm potencial para ameaçar 1,2 mil milhões de empregos nas próximas décadas. Como vão viver estes novos desempregados? Que profissões são mais ameaçadas? Como podemos preparar-nos para um futuro laboral cada vez incerto?

Reveja o programa

Como será o emprego no futuro? Que profissões vão desaparecer e que novas áreas de trabalho serão necessárias? O Fórum Económico Mundial calcula que, até 2020, as novas tecnologias e a robotização acabem com mais de 7 milhões de postos de trabalho. Neste período serão apenas criados 2 milhões de novos empregos, num balanço final que deixa 5 milhões de desempregados.

As previsões dos efeitos daquela que é chamada a quarta revolução industrial são visíveis todos os dias num mundo empresarial cada vez mais automatizado. Só a Foxconn, empresa fornecedora de material eléctrico para a Apple e Samsung, com sede em Taiwan, substituiu 60 mil funcionários por robôs no ano passado. E não são apenas as profissões mecanizadas que vão sofrer este embate. Grande parte dos administrativos em quase todos os sectores serão esvaziados de funções por sistemas informáticos cada vez mais aperfeiçoados.

Como vão viver estes desempregados? O mercado tem capacidade para os absorver? A que custo? Na Finlândia, o governo está a testar soluções sociais inovadoras para lidar com estes problemas: começou a atribuir a duas mil pessoas um rendimento básico mensal de 560 euros, com o qual espera estimular o trabalho. Será uma solução?

Convidados neste programa

Manuela Veloso Investigadora e professora em Carnegie Mellon É uma das maiores referências mundiais na área da robótica. A investigadora portuguesa de 59 anos lidera o departamento de Machine Learning da Universidade de Carnegie Mellon, nos EUA on...
António Moniz Sociólogo e professor na UNL e no Inst. Karlsruhe Especialista em Sociologia do Trabalho e das Organizações tem feito investigação sobre o futuro do trabalho e o impacto da robótica na organização interna das empresas. É professor a...
Manuel Carvalho da Silva Professor no CES, ex-dirigente da CGTP Esteve 25 anos à frente da CGTP, tornando-se o líder histórico da maior estrutura sindical portuguesa e um especialista nos direitos dos trabalhadores. Manuel Carvalho da Silva, de 68 ano...
João Paulo Oliveira Administrador executivo da The Navigator Company É administrador executivo da antiga Portucel, hoje The Navigator Company, empresa nacional de produção e transformação de papel. Durante mais de 25 anos esteve ligado à gigante alemã ...

As melhores questões têm lugar marcado no debate!

Pode escolher o convidado a quem quer deixar a sua mensagem. Os campos assinalados com * são de preenchimento obrigatório. Os lugares estão condicionados à lotação do espaço. A selecção das melhores questões e/ou comentários é da responsabilidade da direcção deste programa.
    

SABIA QUE

?
65% das crianças que hoje entram na escola terão profissões que ainda não existem, alerta um estudo do Forum Económico Mundial World Economic Forum
60 mil funcionários da multinacional Foxconn, com sede em Tawain, foram substituídos por robôs em 2016 Fundação Francisco Manuel dos Santos
O magnata das telecomunicações Carlos Slim defende três dias de trabalho por semana, como forma de combater o desemprego

Notícias XXI

O debate Fronteiras XXI em 13 perguntas
É o fim do mundo tal como o conhecemos…ou talvez não
A revolução no emprego já começou...procuram-se soluções
Dez tecnologias que podem mudar as nossas vidas
Estas profissões estão condenadas pela automação?

Notícias nos media

  O mercado (agora) quer os seniores
  Viseu é a primeira cidade portuguesa a ter um transporte público não tripulado a andar na rua
  O robô vai estacionar-lhe o carro e tornar-se “invencível” nos matrecos